Projeto Salamandra

Saudações galerinha!

Venho até vocês apresentar fragmentos da história do nosso projeto principal, assim como alguns de seus personagens, e suas características (físicas, psicológicas, emocionais, etc).

Nós ainda não temos um nome definitivo para o game, sendo assim denominarei apenas como “Projeto Salamandra”.

Como a história será bastante extensa, postarei fragmentos, para que não fique muita leitura pra um dia só.

Neste post farei uma breve introdução a história anterior do game, segundo a visão de um dos personagens do game – qual personagem? Ah! isso é segredo!

Assim que possível, entrarei em maiores detalhes!

Então boa leitura, e espero que gostem!

“Deve-se entender que existem segredos no mundo, que não devem ser revelados, assim como existem portas que não devem ser abertas…”

Gulmer, mestre conselheiro.

“A cerca de 800 anos atrás, um grande mestre da cidadela oriental do reino de Lothar, pesquisou por muito tempo a respeito da estrutura do mundo, tanto o visível, quanto o invisível. Seu nome era Medrow.

Dez anos após o início de suas pesquisas, fez uma descoberta que mudaria todo o seu mundo.

Pesquisou sobre como o mundo se sustentava, até descobrir que existiam muitos outros mundos além do seu – ou melhor, do nosso mundo, que ele chamou de “mundos internos” – que se entrelaçam, sustentavam-se, e em certos lugares, compartilhavam o mesmo espaço.

Estas dimensões estariam em “frequências” diferentes do nosso mundo, tornando-os intangíveis.

Os espaços que as dimensões dividiam, ele chamou de fendas.

Tais fendas eram invisíveis aos olhos comuns e não treinados, e deixavam apenas névoas translúcidas quase imperceptíveis, e ainda assim, apenas em locais específicos – exatamente onde as dimensões se entrelaçavam.

Medrow se deu conta de que elas se comportavam como portais, e sem muito esforço, poderiam ser usadas como atalhos para percorrer distâncias consideráveis – passariam através do outro mundo como se fosse uma porta – e em poucos segundos, alguém poderia estar em um outro local de seu próprio mundo.

Mas estes portais se limitavam aos lugares onde as fendas se localizavam.

Não satisfeito com a limitação, Medrow criou a partir do fragmento de uma estrela caída, um pingente com uma esfera em sua extremidade, ao qual deu o nome de “esfera do andarilho” – sabe-se pouco sobre este objeto. Medrow nunca revelou muito a respeito do que seria realmente.

A esfera permitiu a Medrow, abrir fendas em qualquer local onde estivesse, e assim, viajasse através das fendas para qualquer lugar que quisesse.

O que Medrow não sabia, é que existem mundos tão densos e mergulhados em trevas, que seus habitantes são criaturas cheias de fúria e ódio…

Uma criatura vil, de nome impronunciável no idioma comum e vinda das profundezas de uma dimensão imersa em frio e trevas, foi a causa da queda de Medrow.

A criatura foi denominada “Chaos” pelos anciões, devido a sua natureza maligna.

Chaos desejou, acima de tudo, destruir tudo o que existia de bom no mundo de Medrow. Sendo assim, usando de meios nefastos, tomou posse da mente de Medrow e com o poder da esfera, abriu um portal e dirigiu-se até a cidadela oriental.

Atacados de surpresa durante a noite, mal tiveram tempo de defenderem-se.

Com o susto, não se deram conta que ali logo a frente, era Medrow sob o controle de Chaos. Atacaram o corpo de Medrow – Ou melhor – tentaram atacar.

Medrow sob o controle de Chaos, foi superficialmente ferido, e talvez como extensão da raiva de Chaos, destruiu tudo, e praticamente todos da cidadela durante o confronto sangrento.

Apenas alguns conseguiram fugir, aprendizes na maioria. Os Mestres foram todos mortos.

Guiado por um desejo por destruição, seguiu caminho em direção ao reino de Lothar – isso é o que consta nos registros da cidadela, não sabemos por que ele não usou novamente a esfera.

Os habitantes de Lothar, ou talvez de todos os cinco reinos, nunca conheceram horror como aquele…

Foram atacados cruelmente, com ondas de frio intensas, que dizimou a maioria dos habitantes.

O rei de Lothar, Cordred, treinado e elevado a categoria de mestre do fogo e das chamas, na cidadela ocidental, tivera que defender seu reino e seu povo em uma batalha contra o vil ser.

A peleja perdurou por toda uma noite.

A criatura fora derrotada ao final, mas infelizmente custou a vida do rei.

Muitos habitantes pereceram naquela noite, e dizem as histórias, que inclusive o único descendente de Cordred, morreu e a linhagem dos reis de Lothar fora interrompida.

A esfera fora encontrada e devidamente selada na cidadela ocidental, onde se espera, que nunca mais seja usada.

Muitos dizem ser apenas uma história para amedrontar as crianças “levadas”, outros acreditam que não passa de uma lenda ou ainda, apenas divagações de um velho, que de tanto morar sozinho no bosque, pode ter ficado louco. Se é verdade? Não posso afirmar, alias espero que não seja, pois não gostaria de imaginar o nosso mundo, com tal criatura.

Mas isso é apenas o que eu espero…”

Ano 743 depois de Cordred, Ig.